Galinhas com TOPETE, como é possível? Entenda a genética por trás dessa característica

As famosas galinhas topetudas são um charme a parte! Existem inúmeras raças que apresentam em seu padrão essa característica, como as Polonesas e as Sedosas, porém muitos garnisés e galinhas caipiras também contam com esse "adorno". Mas e aí, qual a resposta genética para essa característica? Acompanha esse artigo aqui que vou explicar.

Galo Polonês Preto de Topete branco
Galo Polonês Preto de Topete Branco

O topete é uma característica genética, e o gene responsável pela mesma é representado pelas letras Cr (crest - topete em inglês). A característica topete é de dominância incompleta, assim como o gene Frizzle (Frisado - abordado nesse artigo AQUI). A dominância incompleta faz com que heterozigotos apresentem o fenótipo, ou seja, a característica, de maneira intermediária em relação ao homozigotos. O topete é caracterizado como um tufo de penas na cabeça da galinha. Nos galos é composto por penas finas, enquanto o topete das fêmeas é composto por penas arredondadas.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Galinha com Topete da raça Polonesa
Galinha Polonesa de Topete, penas arredondadas
Galo de Topete da raça Polonesa
Galo Polonês de Topete, penas finas

Agora, do ponto de vista genético, mostrarei como a característica se expressa:


• CRCR: Homozigoto dominante, presença de topete bem volumoso. Ou seja, o animal é portador dos dois alelos para o gente de topete;⠀⠀⠀⠀⠀ • CRcr: Heterozigoto, possui topete, porém de menor volume e muitas vezes parecido com um “moicano”.⠀Ou seja, o animal é portador de apenas um dos alelos para o gene do topete;⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ • crcr: Homozigoto recessivo, ausência de topete. ⠀Ou seja, o animal não é portador de alelos para o gene do topete.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Por vezes o CRCR apresenta uma hérnia cerebral que causa uma má-formação no crânio, o popular topete de osso. Essa característica é presente na raça Polonesa, por exemplo. A má-formação não acarreta em problemas cerebrais para os animais.


Quando acasalamos uma ave com topete bem volumoso (CRCR) com uma ave sem topete (crcr), obtemos a seguinte proporção de filhotes:

CRCR x crcr = CRcr, ou seja, 100% da prole nasce com topete, entretanto com pequeno volume.

Quando acasalamos duas aves com topete "pequeno" (CRcr), temos nas crias:

CRcr x CRcr = CRCR (25%) CRcr (25%) CRcr (25%) crcr (25%), ou seja, 25% dos filhotes terão topete bem volumoso (CRCR), 50% dos filhotes terão topete "pequeno" (CRcr) e 25% dos filhotes não terão topete (crcr).


E aí, gostaram do artigo de hoje Se sim, não esquece de compartilhar com os amigos criadores! Quer deixar uma sugestão? Só comentar aqui embaixo! E ah, não esquece de nos seguir nas redes sociais hein:

YOUTUBE: Rancho LW

INSTAGRAM: @rancho_lw




1.233 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo